Como entender outras culturas

COMO ENTENDER OUTRAS CULTURAS

O QUE É CULTURA?

Segundo Edward B. Taylor o conjunto de conhecimentos, crenças, moral, artes, leis, costumes e hábitos de um conjunto de pessoas de uma sociedade é conhecido como CULTURA.

A cultura é dinâmica, sofre mudanças, algumas características se perdem outras são adicionadas. Essas mudanças acontecem principalmente por invenções novas ou novos conceitos e descobertas, algumas dessas mudanças se tornam parte da idiossincrasia dadiversidad-cultural-personas sociedade, outras são passageiras porque não se sustentam no tempo.

A GLOBALIZAÇÃO

Nos tempos atuais a velocidade da informação, de deslocamento e viagens tem feito que muitas culturas se encontrem em diferentes cenários (econômicos, políticos, esportivos, etc.) Muitos autores sinalizam a queda da antiga União Soviética e o final da guerra fria (anos 90) como o inicio do que conhecemos como GLOBALIZAÇÃO.

As fronteiras físicas para os negócios quase não existem no mundo globalizado, para trabalhar melhor nesse contexto as empresas precisam de profissionais com habilidades sociais e culturais capazes de reconhecer e compreender as diferenças culturais existentes entre seus colegas, superiores, clientes ou fornecedores.

Perante situações iguais ou semelhantes, por que as pessoas de diferentes culturas reagem de uma maneira diferente?

COMO ENTENDER OUTRAS CULTURAS?

Para compreender essa diversidade cultural o psicólogo holandês GEERT HOFSTEDE elaborou uma teoria chamada modelo das DIMENSÕES CULTURAIS, ele concluiu que podemos agrupar os países de acordo com suas características culturais, isto irá melhorar nossa compreensão de outras culturas através dos seus valores.

AS DIMENSÕES CULTURAIS DE GEERT HOFSTEDE

1ra. Dimensão: a DISTÂNCIA HIÉRARQUICA ou DISTÂNCIA DO PODER

Refere-se a como as pessoas lidam com a equidade ou igualdade em diferentes âmbitos como poder, riqueza, status.

Em culturas com pouca distancia do poder existe ajuda e colaboração mutua entre chefes e colaboradores, com a participação de todos (em maior ou menor grau) na tomada de decisões.

Nestas culturas existe transparência, autonomia, proatividade, descentralização, delegação de funções. Mas há risco de descontrole, de desrespeito com superiores.

Em sociedades onde existe grande distância do poder há muita dependência dos empregados com os superiores, estes esperam sempre ordens sobre o que fazer.

O positivo aqui é a disciplina, o controle, as estruturas claras. O negativo é a provável  falta de criatividade, medo dos superiores, desmotivação, reatividade.

2da. Dimensão: INDIVIDUALISMO E COLETIVISMO

Esta dimensão descreve como o individuo vive em comunidade e como se relaciona com ela, com a família, com os colegas de trabalho.

Em culturas individualistas se dá valor à autonomia, liberdade e independência.

Os benefícios são a competitividade, criatividade, objetividade, claridade.

Há risco de não pensar no coletivo, ter visão de curto prazo, agressividade e individualismo.

Nas sociedades coletivistas se dá valor ao grupo, à lealdade, solidariedade, amizade.

O positivo é pensar no longo prazo, lealdade ao grupo, objetivos compartilhados, o consenso. O contrário são a lentidão, a  falta de clareza, a ambiguidade, o conformismo.

3ra Dimensão: MASCULINIDADE E FEMINILIDADE

Os papeis masculinos ou femininos (padrões de comportamento esperado para cada gênero) são aprendidos na família, como os amigos, na escola, televisão, mídia, literatura, filmes.

Em sociedades masculinas se dá valor à competitividade entre colegas, à autoafirmação, as posses materiais.

Os pontos positivos são a competitividade, a ambição, o foco na produtividade. No entanto pode existir agressividade, arrogância, discriminação de gênero, falta de qualidade de vida.

Em sociedades femininas se dá valor a solidariedade, empatia, generosidade, modéstia.

Os benefícios são solidariedade, a ternura, o bom ambiente de trabalho. Os riscos são a falta de ambição falta de assertividade (equilíbrio emocional)

4ta Dimensão:  CONTROLE DA INCERTEZA

Novas leis, tecnologias, estilos de vida, ambiguidades, surgem mais rapidamente nestes tempos do que no século XIX e anteriores, quando as mudanças eram mais lentas.

Em sociedades que aceitam as incertezas, as opiniões diferentes são toleradas, permitem diversas correntes de pensamento.

Os benéficos são a tolerância com o diferente, aceitação de riscos, inovação, quebra de paradigmas. Por outro lado há tendência de riscos excessivos, não ter respeito por tradições, arrogância, instabilidade.

Em culturas que evitam a incerteza, prima a segurança do conhecido, respeito às normas de comportamento herdadas, são mais conservadores.

Os benefícios são a segurança das tradições, comportamentos previsíveis, precisão, maior disciplina, pelo contrário há aversão aos riscos, intolerância com o diferente, lentidão.

5ta. Dimensão: ORIENTAÇÃO A LONGO PRAZO

Refere-se a quanto uma sociedade pode esperar pelo resultado (recompensa) de uma ação. A persistência, paciência são qualidades de longo prazo. Os membros destas sociedades tem diferenças hierarquias e os mais velhos devem ser respeitados.

Em culturas de longo prazo se fomentam as virtudes direcionadas a recompensas futuras baseadas na perseverança e a poupança ou investimento.

Seus benefícios são a paciência, tranquilidade, persistência, cultura de poupar e investir, adaptação dos costumes à modernidade. Pelo contrário aceitam as relações desiguais, a hierarquia é muito importante, cada um tem seu papel definido.

Em sociedade de curto prazo se respeitam as tradições, maior diplomacia, mas se esperam resultados rápidos, não se enfoca no hábito da poupança ou perseverança para recompensas futuras.

Os benefícios são os resultados imediatos, a procura que os lucros cheguem mais rápido, respeitam as tradições. Os riscos são o consumismo, viver de aparências.

6ta. Dimensão: INDULGENCIA E RESTRIÇÕES

Nesta dimensão cultural se analisa como uma cultura aborda os desejos humanos de prazer, diversão, e a liberdade para satisfação de desejos.

Em sociedades indulgentes é permitido que as pessoas satisfaçam livremente seus desejos básicos e de diversão.

Seus benefícios são o otimismo, positividade, pessoas mais extrovertidas, valorizam o lazer e amizade. Mas a excessiva liberdade pode se tornar em libertinagem, e uma sociedade centrada no prazer presente.

Em sociedades restritivas as pessoas suprimem seus impulsos com normas, costumes e regras rígidas, a disciplina é mais rígida.

Os pontos positivos são a alta disciplina moral, controle de desejos e impulsos, os aspectos negativos são o pessimismo, introversão, comportamentos reprimidos.

Além da dimensões culturais de G. Hofstede existem outros profissionais que contribuem com mais estudos e análises culturais, tais como Edward Hall e Fons Trompenaars. O estudo das dimensões culturais é uma ferramenta muito importante que nos ajudará no nosso processo de interação económica, profissional e comercial com outras culturas ou países

Daniel Liberato

ASSISTA NOSSO VÍDEO